quinta-feira, outubro 05, 2006

No inicio era o verbo




Sempre que a noite chega,
a solidão vem me falar de ti.
E a saudade penetra em meu coração
como um pouco de luar
dentro de minha noite imensa.
Vai deixando aos poucos seu toque magnífico
de beleza e suavidade.
Vai deitando prata nos recantos mais sombrios.
Vai enfeitando de luz as flores mais singelas.
Assim é a saudade.
Consegue transformar em beleza
a tristeza infinita do presente...
porque traz para mim o encanto
das horas mortas do passado.

14 comentários:

fernanda dias disse...

Os momentos que povoam a nossa memória, por mérito próprio, nunca são mortos! E dão-nos força para continuar, por mais estranho e errado que pareça! Grande beijo de saudade, meu amigo

Titas disse...

A saudade, por mais bela que seja, dói.

Titas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Afrodite disse...

ou o desencanto das horas pressentidas que o futuro não permitiu...

Nas Asas do Amor disse...

A realidade neste poema meu caro Alexandre. ;)

lobices disse...

…as minhas saudações…
…ao fim de 3 anos de escritos, o meu blogue http://lobices.blogspot.com morreu;
…entendi que havia cumprido a sua “missão”…
…porém, ele deu lugar ao livro “Lobices”, uma compilação de tudo o que foi escrito ao longo destes meus últimos anos de vida…
…a vossa visita ao meu covil será sempre agradável e lá encontrarão o link para a aquisição do livro se esse gosto me quiserem dar…
…a minha (e)terna gratidão pelo vosso apoio e presença ao longo destes tempos…
…o vosso sempre amigo
quim

Afrodite disse...

Então ???????

Por onde andas tu?

Temos saudades.

Afrodite disse...

"Há noites em que, com o meu eterno caderno de capas pretas aberto, esferográfica entre os dentes, olhando o vazio que me envolve, tento ordenar os sempre desordenados pensamentos, procurando, muitas vezes em desespero, uma lucidez transformada em palavras legíveis e compreensíveis, não apenas para mim própria, mas para quem, um dia, estes cadernos caiam nas mãos".


Hoje foi dia de matar saudades.
Saudades do passado?
Saudades do futuro?

Hoje foi dia saudades acrescidas.

Adryka disse...

Olá Alexandre, sempre fantástico na escrita. Beijinhos amigo

TMara disse...

olha e eu tenho saudades tuas. Com vais? as aulas estão a ser boas e prazenteiras?
bj e abraço

Luz e paz em teu caminhar e ao teu redor

Cris disse...

Quando te podemos ler mais?
Tenho saudades!

Beijo!

Giesta disse...

Cai aqui por engano

Mitsou disse...

Por onde andas, Alexandre?
Eu também me afastei, por isso não posso falar.... :)

Beijocas e dá notícias, amigo.

Cris disse...

O silêncio contido num sorriso...
e um beijo!