quinta-feira, fevereiro 24, 2005

Tanto mar…

Amantes feito o mar e a areia
Todo dia o dia todo aquele vai e vem
A maré enche e tu me invades por todos os lados,
Cheio de amor,
Desejo e calor!
Sinto o gosto do sal no teu corpo mar,
Quando me tens num abraço eterno,
Tuas águas refrescam meu corpo areia ardente de paixão,
E, sem resistência alguma me deixo invadir por tua presença única
De repente, sem aviso, bilhete ou sinal,
Vai embora, feito a vazante da maré,
E eu permaneço areia húmida a esperar por ti.
Em meio ao temporal retornas,
Mar bravio, arisco, selvagem...
Faminto de sua areia amada.
Tuas ondas quebram em vagalhões
E avançam com urgência meu corpo areia...
Sinto tua língua quente e indecente por toda minha extensão
E novamente o amor explode inundando tudo em volta,
O amor tempestade cede lugar à calmaria...
E recomeçam as carícias do mar na areia.
Ele espalhando-se sobre ela,
Como se quisesse engoli-la inteira.
Areia tão quente e carinhosa,
Guarda para o mar o calor do sol...
E o recebe num amor plácido...
Num abraço doce,
Oferecendo-lhe sua paz,
E sua fonte inesgotável de calor...
Num mar de amor!!!

4 comentários:

Cris disse...

E o mais extraordinário é q há sempre uma linha do horizonte ao fundo!...
Pintaste aqui um quadro lindíssimo q se consegue viver... e sentir!

Um beijo com sabor a azul do mar...

Cerejinha disse...

Gostei destas pinturas escritas. Vou ficar um pouco, irei embora mas na certeza de regressar.

Mitsou disse...

Vim agradecer a visita. Já estive no Gregueria, actualizando as leituras depois desta minha ausência, e agora vou ficar aqui mais um bocadinho a lavar a alma...Fazes-me bem, sabes? Beijo carinhoso e bom fds :)

Mar Revolto disse...

Sim, tanto mar, para além da canção cantada tão lindamente pelo Chico, levou-me a passear por mar de sonhos, infinito mar, mar de desejos, mar revolto, mar azul,mar..., sempre mar!